Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

12.01.14

Noites mal dormidas...

Rui Luzes Cabral

"Por diversão ou por dever, as noites em claro são comuns. Mas não dormir o suficiente afeta mais a saúde do que pode imaginar... Conheça os riscos que corre e teste a qualidade do seu sono."

 

Leio o artigo da Revista Visão AQUI.
19.08.09

Criação de uma Linha de Saúde do Estado

Rui Luzes Cabral

A ministra da Saúde, Ana Jorge, disse que tem que apurar responsabilidades junto da Linha Saúde 24 pois o contrato é para aquela empresa privada atender 10.000 chamadas por dia e só está a atender 3.000.

 
Nunca percebi porque é que este serviço não é detido pelo serviço público, isto é, gerido pelo ministério, com funcionários públicos. Muitas das trapalhadas que recentemente aconteceram, certamente não teriam existido.
10.08.09

GRIPE A - PERGUNTAS E RESPOSTAS

António Silva

 

1. O que é o novo vírus da Gripe A(H1N1)v?
O novo vírus da Gripe A(H1N1)v, que apareceu recentemente, é um novo subtipo de vírus que afecta os seres humanos. Este novo subtipo contém genes das variantes humana, aviária e suína do vírus da gripe e apresenta uma combinação nunca antes observada em todo o Mundo. Em contraste com o vírus típico da gripe suína, este novo vírus da Gripe A(H1N1)v é transmissível entre os seres humanos.
 
2. Quais os sintomas da doença pelo novo vírus da Gripe A(H1N1)v?
Os sintomas de infecção pelo novo vírus da Gripe A(H1N1)v nos seres humanos são normalmente semelhantes aos provocados pela gripe sazonal:
  • Febre
  • Sintomas respiratórios (tosse, nariz entupido)
  • Dor de garganta
  • Possibilidade de ocorrência de outros sintomas:
    • Dores corporais ou musculares
    • Dor de cabeça
    • Arrepios
    • Fadiga
    • Vómitos ou diarreia [embora não sendo típicos na gripe sazonal, têm sido verificados em alguns dos casos recentes de infecção pelo novo vírus da Gripe A(H1N1)v]
Em alguns casos, podem surgir complicações graves em pessoas saudáveis que tenham contraído a infecção.
 
3. Como se infectam as pessoas com o novo vírus da Gripe A(H1N1)v?
O modo de transmissão do novo vírus da Gripe A(H1N1)v é idêntico ao da gripe sazonal. O vírus transmite-se de pessoa para pessoa através de gotículas libertadas quando uma pessoa fala, tosse ou espirra. Os contactos mais próximos (a menos de 1 metro) com uma pessoa infectada podem representar, por isso, uma situação de risco. O contágio pode também verificar-se indirectamente quando há contacto com gotículas ou outras secreções do nariz e da garganta de uma pessoa infectada - por exemplo, através do contacto com maçanetas das portas, superfícies de utilização pública, etc. Os estudos demonstram que o vírus da gripe pode sobreviver durante várias horas nas superfícies e, por isso, é importante mantê-las limpas, utilizando os produtos domésticos habituais de limpeza e desinfecção.
 
4. Qual é o período de incubação da doença?
O período de incubação da Gripe A(H1N1)v, ou seja, o tempo que decorre entre o momento em que uma pessoa é infectada e o aparecimento dos primeiros sintomas, pode variar entre 1 e 7 dias.
 
5. Durante quanto tempo uma pessoa infectada pode transmitir o vírus a outras?
Os doentes podem infectar (contagiar) outras pessoas por um período até 7 dias, a que se chama período de transmissibilidade. É prudente, contudo, considerar que um doente mantém a capacidade de infectar outras pessoas durante todo o tempo em que manifestar sintomas.
 
6. A doença pelo novo vírus da Gripe A(H1N1)v pode ser tratada?
O novo vírus da gripe é sensível aos medicamentos antivirais oseltamivir e zanamivir.
 
7. Qual a melhor forma de evitar a disseminação do vírus, no caso de estar doente?
Limite o contacto com outras pessoas, tanto quanto possível
  • Mantenha-se em casa durante sete dias, ou até que os sintomas desapareçam, caso estes perdurem.
  • Cubra a boca e o nariz quando espirrar ou tossir, usando um lenço de papel. Nunca com as mãos!
  • Utilize lenços de papel uma única vez e coloque-os de imediato no lixo.
  • Lave frequentemente as mãos com água e sabão, em especial após tossir ou espirrar.
  • Pode usar toalhetes descartáveis com soluções alcoólicas.
8. Qual é a melhor técnica de lavagem das mãos?
Lavar as mãos frequentemente ajuda a evitar o contágio por vírus da gripe e por outros germes. Recomenda-se que use sabão e água, pelo menos durante 20 segundos. Quando tal não for possível, podem ser usados toalhetes descartáveis, soluções e gel de base alcoólica, que se adquirem nas farmácias e nos supermercados. Se utilizar um gel, esfregue as mãos até secarem e não use água.
 
9. Existe alguma vacina contra o vírus da Gripe A(H1N1)v?
De momento, não existe vacina que proteja as pessoas contra o novo vírus da Gripe A(H1N1)v.
 
10. A vacina da gripe sazonal é eficaz contra o novo vírus da Gripe A(H1N1)v?
 
Não há evidência científica, até ao momento, de que a vacina contra a gripe sazonal confira protecção contra a Gripe A(H1N1)v
 
11. O vírus da Gripe A(H1N1)v pode ser transmitido às pessoas através do consumo de carne de porco ou derivados?
Não. O vírus da Gripe A(H1N1)v não é transmitido pela ingestão de carne de porco ou derivados. Esta nova estirpe não foi, até à data, observada em animais e não há indícios de que o vírus tenha entrado na cadeia de produção. A Autoridade Europeia de Segurança Alimentar e o Centro Europeu para a Prevenção e Controlo de Doenças desconhecem qualquer evidência científica que sugira a possibilidade de transmissão do vírus por consumo de carne de porco e derivados.
 
12. Qual é a situação da doença na Europa e no resto do Mundo?
A situação a nível mundial está em constante evolução. Para informações mais recentes, consulte o Microsite da Gripe do sítio da Direcção-Geral da Saúde.
 
13. Que devo fazer para me proteger se tiver de viajar para áreas onde foram identificados casos de Gripe A(H1N1)v?
Os viajantes devem seguir as precauções gerais de higiene relativamente a infecções respiratórias se viajarem para áreas onde foram detectados casos de infecção pelo novo vírus da gripe:
  • Lave frequentemente as mãos com água e sabão;
  • Evite o contacto próximo com pessoas doentes;
  • Se estiver doente:
    • Mantenha a distância de pelo menos 1 metro em relação aos outros, para evitar a propagação do vírus;
    • Permaneça em casa, sempre que possível;
    • Evite multidões ou grandes aglomerados de pessoas;
    • Se tossir ou espirrar, proteja a boca e o nariz com um lenço de papel de utilização única ou use o antebraço e não as mãos;
    • Para se assoar, use lenços de papel de utilização única e coloque-os, de imediato, no lixo;
    • Lave as mãos com frequência.
14. Que precauções devo tomar se estiver a regressar de uma área onde foram identificados casos de Gripe A(H1N1)v? 
Viajantes que regressem de uma área onde foram detectados casos de infecção pelo novo vírus da Gripe devem estar particularmente atentos ao seu estado de saúde e, se experimentarem algum dos seguintes sintomas, devem contactar de imediato a Linha Saúde 24 (808 24 24 24), durante os 7 dias seguintes ao regresso:
  • Febre (>38ºC) e um dos seguintes sintomas:
    • Sintomas respiratórios como tosse ou nariz entupido;
    • Dor de garganta;
    • Dores corporais ou musculares;
    • Dor de cabeça;
    • Fadiga;
    • Vómitos ou diarreia.
15. Estamos perante uma nova pandemia de gripe?
Uma pandemia de gripe é uma epidemia à escala mundial, provocada por um novo vírus da gripe que infecta uma grande parte da população. No século XX, houve três pandemias deste tipo: em 1918, 1957 e 1968. Em Portugal e nos outros países da Europa foram desenvolvidos, nos anos mais recentes, esforços consideráveis de preparação para uma pandemia, sendo que todos os Estados Membros da União Europeia têm planos de contingência nacionais.
Em 11 de Junho de 2009, a Organização Mundial de Saúde elevou para 6 o nível de alerta de pandemia. Esta alteração da Fase 5 para Fase 6 não está relacionada com o aumento da gravidade clínica da doença, mas sim com o crescimento do número de casos de doença e com a sua dispersão a nível mundial. 
 
Para mais informações consultar Portal da Saúde

 

15.02.09

Pior que animais

Rui Luzes Cabral

Há pouco ouvi no telejornal da RTP1 que as autoridades brasileiras estão a distribuir preservativos mas mesmo assim estão muito preocupadas com o aumento de contágio de SIDA que pode advir de “relacionamentos” muito inconscientes e irresponsáveis que geralmente acontecem durante os festejos do carnaval que estão a acontecer. Ao que tudo indica, mascaram a cara mas esquecem-se de proteger a parte mais importante.

14.01.09

Campanha de Solidariedade para com o Ivo

Rui Luzes Cabral

O Ivo é um jovem de 18 anos que estuda na Escola Secundária de Santa Maria da Feira, no 12º Ano. Sofreu um grave acidente no período de férias, tendo ficado paraplégico. Os amigos têm como objectivo proporcionar-lhe tratamentos específicos de formação cubana, para que tenha de futuro uma vida mais autónoma. Para isso, precisamos da ajuda de todos. Contribui e divulga este caso, pois hoje foi ao Ivo e amanhã poderá ser a um de nós.
 
Bem-haja!
 
NIB: 003507220000372190033
N.º Conta: 0722003721900 (CGD)
Site: http://campanhadesolidariedade.hi5.com
Contactos: 913465497 / 919593381

 

20.11.08

Células estaminais e a vida humana

António Silva

Hoje no telejornal vi uma reportagem magnífica do engenho humano. Uma Senhora bonita, jovem com dois filhos estava praticamente condenada à morte, pois o seu pulmão esquerdo quase não funcionava, pois a traqueia estava atrofiada. A medicina desenvolveu uma técnica de desenvolvimento das células estaminais.

No Público online é possivel analisar a notícia e pensar sobre a evolução da ciência e da tecnologia no desenvolvimento da sociedade.

Todos nós somos constituídos por milhões de células que se renovam constantemente e cada uma delas tem basicamente a mesma informação, só que se diferenciaram, por exemplo em células da pele, ou do músculo cardíaco, ou da retina do olho, etc.…
As células estaminais são células extraordinárias, que possuem nos seus cromossomas toda a informação (toda a biblioteca do conhecimento celular do organismo), só que ainda não se diferenciaram (ainda não decidiram o que querem ser quando forem mais velhas!), isto é, podem desde que induzidas por diferentes processos metabólicos transformarem-se em células específicas, neste caso em células da traqueia. A grande vantagem é que não há rejeição do órgão pois o sistema imunitário do organismo reconhece-o como seu.
27.10.08

Vamos referendar a morte?

Rui Luzes Cabral

"O que está em causa não é o médico promover a morte dos doentes terminais - é tratar as dores que tenham Ciclicamente, os políticos, ou quem serve os objectivos dos políticos no poder, ressuscitam a "questão" da eutanásia como uma grande questão nacional, a carecer, pasme-se, de ser referendada pelo povo português. É preciso perguntar aos portugueses, em referendo, se eles querem ser mortos pelos médicos! A possibilidade de um médico matar um doente que lhe pede para ser morto é, exclusivamente, uma questão da prática clínica dos médicos." Leia o artigo completo de Daniel Serrão aqui

14.10.08

Um Oceano de Plástico

Rui Luzes Cabral

"No oceano Pacífico há uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de 1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Havai e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros. Acredita-se que haja neste vórtex de lixo cerca de 100 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos.

 
Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas, bonecas, patos de borracha, ténis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico. Segundo os seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos.  


O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal que se movimenta livremente pelo pacífico. E quando passa perto do continente, ficam as praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta. (...) Segundo PNUMA, o programa das nações unidas para o meio ambiente, este plástico é responsável pela morte de mais de um milhão de aves marinha todos os anos. Sem contar toda a outra fauna que vive nesta área, como tartarugas marinhas, tubarões, e centenas de espécies de peixes." Leia o texto completo aqui

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Loureiro

Oliveira de Azeméis

Religião

Política

Europa

História & Património

Música

Diversos

Meteorologia

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D