Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

27.08.11

Artigos de Miguel Esteves Cardoso

Rui Luzes Cabral

Dois artigos de Miguel Esteves Cardoso, um em Agosto de 2010, o outro este Agosto. O do ano passado é de uma profundidade própria, de, quando em férias reflectimos sobre o que somos. Momentos de paragem. O deste ano é também característico de férias, mas de cariz superficial, em jeito de jogo de palavras e momentos mais desprendidos de que são, também, feitas as férias. Quem como ele escreve todos os dias, há dias em que o que diz merece ser lido novamente.

 

 

 

  Público, 2 de Agosto de 2010, página 31

 

 

 Público, 16 de Agosto de 2011, página 31

22.08.11

D. Frei Caetano Brandão

Rui Luzes Cabral

Na edição do Correio de Azeméis do passado dia 16 de Agosto, página 2, aparece a uma foto da casa que foi de D. Frei Caetano Brandão, o maior loureirense que há memória. Fico feliz por haver quem coloque o tema da recuperação do imóvel, mais uma vez em destaque, para alertar da sua importância. Há 50 anos que esse é um sonho do meu amigo Padre Bastos, o maior conhecedor da história de loureiro. Vamos ver o que trarão de bom os próximos anos nesta matéria.

 

16.08.11

Lúcio Flávio Pinto: A Selva é um grande livro da literatura mundial.

Rui Luzes Cabral

Hoje no Jornal Público, suplemento P2, página 4 e 5 chega até nós a história, em jeito de conversa, de Lúcio Flávio Pinto, um brasileiro que vive junto à Amazónia, em Belém do Pará e que há anos luta com coragem para defender aquela terra. Tem uma quinzenal, o Jornal Pessoal que vai fazer 24 anos - http://www.lucioflaviopinto.com.br. Um homem que vive onde um dia esteve o loureirense D. Frei Caetano Brandão (existe uma estátua deste nosso prelado numa praça de Belém). Um homem que considera o livro “A Selva” de Ferreira de Castro um dos maiores no género da prosa.

 

“O meu poeta do coração é Drummond. Mas a Invenção de Orfeu, de Jorge de Lima, é o maior livro de poesia do Brasil.” E poetas da Amazónia? “Max Martins é o maior”. Prosa? “Haroldo Maranhão; Dalcício Jurandir, Milton Hatoun, Ferreira de Castro… A Selva é um grande livro da literatura mundial”. Nunca será de mais dizê-lo, e Lúcio destaca-o sem qualquer problema de distinguir um português, vários aliás. O livro “mais deslumbrante sobre a Amazónia”, diz, é o do Padre João Daniel O Tesouro Descoberto no Máximo Rio Amazonas, escrito no século XVIII.”

 

Já contactei Lúcio Flávio Pinto para trocarmos informações sobre os dois oliveirenses acima referidos, pois são nestes acasos e nesta partilha que aumentamos o nosso conhecimento dos nossos antepassados, da nossa cultura. Espero resposta...

15.08.11

A Derrapagem de Alberto João Jardim

Rui Luzes Cabral

 

Alberto João Jardim reconhece que a Madeira tem uma dívida colossal, mas atenção, a culpa não é dele, ou melhor, ele que governa a Ilha desde o século passado, longo passado, não reconhece culpas por isso. A culpa, ora aí está, é de Sócrates.

 

Alberto João Jardim, o homem que envergonha os políticos sérios, que sempre teve uma linguagem arrogante, que foi muitas vezes mal-educado, que “derreteu” algum dinheiro dos contribuintes em megalomanias na sua ilha e para manter o seu poder, que sempre teve a complacência de todos os primeiros-ministros eleitos, mais uma vez, parece que vai fazer o que quer.

 

Não me venham com a desculpa, de que, se ainda está ao comando do Governo Regional é porque o povo assim quer. Isso, naquele caso concreto, é um pormenor que facilmente se explica, que facilmente se compreende. Porque é que se limitaram os mandatos para a Presidência da República e para as Autarquias Locais? Quem for inteligente compreende e concorda com a medida.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Loureiro

Oliveira de Azeméis

Religião

Política

Europa

História & Património

Música

Diversos

Meteorologia

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D