Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

13.01.10

Sismo de sofrimento no Haiti

António Silva

As placas tectónicas (estruturas constituintes da crusta terrestre)  movem-se... como se tivéssemos uma panela de pressão ao lume e a tampa da panela fosse constituída por peças tipo puzzle... quando a panela começa a ferver a tampa move-se e as peças deslocam-se, neste caso as peças (placa da América do Norte e das Caraíbas) fizeram um movimento horizontal libertando uma quantidade colossal de energia provocando um sismo de enorme magnitude (quantidade de energia libertada no local de origem do sismo). 

 Segundo as noticias mais de cem mil mortos (100000) no Haiti por causa de um sismo, os feridos são muitas centenas de milhar e destes muitos vão morrer, já que o país não tem nem tinha antes hospitais decentes nem serviços de assistência médica. Segundo as noticias O país está destruído. O país já estava destruído, sempre foi assolado por guerras e disputas, bem como governado por um bando de incompetentes e corruptos que devastaram o país. O Haiti e a Republica Dominicana partilham a mesma ilha nas Caraíbas. Ambos os países têm o mesmo clima tropical fantástico, recursos naturais semelhantes e povos semelhantes,  mas histórias politicas muito diferentes, infelizmente ao Haiti calhou a fava do bolo-rei ao longo da história da colonização.   Embora a republica Dominicana seja um país pobre se comparada com os países europeus, em relação aos vizinhos do Haiti são extremamente ricos e têm uma paz e uma democracia razoavelmente consolidada.

Lamento profundamente o sofrimento humano provocado pelas mortes e pelos ferimentos. Não coloco neste post imagens, pois estamos inundados de imagens e cada televisão ou jornal quer a melhor imagem para mais chocar e vender, mais que informar.

Desejo coragem para o povo atingido por este drama... que este momento de imenso sofrimento, nesta primeira noite que está a surgir no Haiti, em que as pessoas, embora com temperaturas tropicais vão dormir ao relento sem água potável nem comida e se calhar sem esperança. Desejo esperança para o Haiti e que a comunidade internacional ajude este povo.

 

30.11.08

Catálogo Sphæra Mundi disponibilizado online

Rui Luzes Cabral

Catálogo Sphæra Mundi disponibilizado online. Dado estar completamente esgotado há vários meses e ser muito procurado, a BNP disponibilizou na íntegra o ficheiro pdf do catálogo, que pode abrir aqui.

 

Sphæra Mundi: A Ciência na Aula da Esfera. Manuscritos científicos do Colégio de Santo Antão nas colecções da BNP, Catálogo, (Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal, 2008), 247 p., il. color., 25cm


“Este Catálogo bibliográfico e a Exposição a que está associado pretendem dar a conhecer as actividades científicas da «Aula da Esfera» do Colégio de Santo Antão a um público geral, revelando ao mesmo tempo a riqueza patrimonial da Biblioteca Nacional de Portugal. Pretendem, além disso, colocar à disposição dos especialistas mais elementos de trabalho que os auxiliem nas suas pesquisas.

O trabalho de investigação que está na base deste Catálogo é parte de um esforço muito mais amplo que tem sido feito nos últimos anos, de   inventariação, catalogação e estudo dos manuscritos científicos da BNP, no âmbito do Projecto financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) intitulado «Património científico e cultura manuscrita: A colecção de manuscritos científicos da Biblioteca Nacional, Lisboa»

O Catálogo dos manuscritos da «Aula da Esfera» propriamente dito é precedido de alguns estudos que pretendem dar a conhecer algo das actividades da «Aula da Esfera» e do seu impacto cultural. São estudos parcelares, sobre aspectos delimitados da realidade que foi a «Aula da Esfera»; não pretendem, portanto, esgotar a riqueza das actividades que aí se desenrolaram e não constituem um estudo geral desta instituição singular. Para cada professor da «Aula da Esfera» apresentamos uma breve biografia, seguida da descrição dos manuscritos que lhe estão associados. São descritos com algum pormenor os materiais da BNP e da Biblioteca da Ajuda, mas dá-se notícia de todos os outros materiais conhecidos e por enquanto localizados, em outros arquivos e bibliotecas de Portugal e do estrangeiro.”

Mensagem recebida por correio electrónico através do Histport (fórum de discussão e divulgação de temas relacionados com História).

29.10.08

Minas do Rei Salomão

Rui Luzes Cabral

"Eça de Queirós assinou a versão portuguesa de um romance britânico sobre este intrigante tema

Arqueólogos norte-americanos crêem que um local desértico do Sul da Jordânia, Khirbat en Nahas ("ruínas de cobre", em árabe), poderá conter as há muito procuradas minas do rei Salomão, sobre as quais o britânico Sir H. Rider Haggard escreveu em 1885 um romance que viria a ser traduzido e adaptado para português por Eça de Queirós; e por seis vezes transposto para o cinema. As descobertas ultimamente feitas sob a direcção de Thomas Levy, da Universidade da Califórnia, em San Diego, foram esta semana reveladas pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Os investigadores, utilizando técnicas de datação por carbono, conseguiram chegar à conclusão de que ali se produzia cobre no tempo de Salomão, terceiro rei de Israel, no século X antes de Cristo, quando se ergueu o primeiro templo do antigo judaísmo, templo esse que viria a ser destruído pelos babilónios, povo que viveu no território do actual Iraque. Kirbat en Nahas fica a sul do mar Morto, no Wadi (distrito) Faynan do deserto jordano, e já em 2004 estudiosos britânicos tinham falado das concentrações do elemento químico rádon nas antigas minas de cobre que na região eram pela lenda associadas ao rei Salomão, pelo que o que actualmente está a ser publicado nos Estados Unidos poderá, ao fim e ao cabo, não ser assim uma novidade tão grande quanto à primeira vista parece.

Aliás, os recursos de cobre daquela região já eram conhecidos por assírios, egípcios e romanos, julgando-se que por ali existiu a cidade de Phaino (de onde o actual nome de Faynan), tristemente famosa na Antiguidade Clássica pelas terríveis condições de vida dos prisioneiros e dos escravos condenados a trabalhar nas minas, tal como nos foi relatado cerca do ano 300 da era cristã por Eusébio, bispo de Cesareia e precursor da História do Cristianismo.

A Bíblia não fala especificamente de nenhumas "minas do rei Salomão", mas diz que os minérios para a construção do Templo eram da região de Asiongaber, na extremidade setentrional do golfo de Aqaba; o que ao fim e ao cabo não deixa de ir parar ao Sudoeste da actual Jordânia." 
Artigo de Jorge Heitor, hoje no Jornal Público

14.10.08

Um Oceano de Plástico

Rui Luzes Cabral

"No oceano Pacífico há uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de 1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Havai e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros. Acredita-se que haja neste vórtex de lixo cerca de 100 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos.

 
Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas, bonecas, patos de borracha, ténis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico. Segundo os seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos.  


O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal que se movimenta livremente pelo pacífico. E quando passa perto do continente, ficam as praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta. (...) Segundo PNUMA, o programa das nações unidas para o meio ambiente, este plástico é responsável pela morte de mais de um milhão de aves marinha todos os anos. Sem contar toda a outra fauna que vive nesta área, como tartarugas marinhas, tubarões, e centenas de espécies de peixes." Leia o texto completo aqui

10.09.08

Descansem, Deus não anda longe

Rui Luzes Cabral

Não são precisas máquinas, nem grandes teorias, nem procurar muito longe. Apesar de o acelerador de partículas não ter sido criado para provar algo relacionado com a transcendência, há sempre quem queira, em diversas circunstâncias, prová-lo através da ciência.

 

Por isso a comunicação social vai sempre atrás de comentários. Lança sempre o isco à água. É que a TSF foi hoje confrontar o teólogo Anselmo Borges sobre o que representa a entrada em funcionamento do mega projecto que há cerca de 30 anos anda a ser construído e pensado em território europeu (CERN). O religioso “entende que subsistirão as dúvidas relacionadas com as razões da existência de um Big Bang mesmo após as experiências desta quarta-feira com o acelerador de partículas. Mesmo assim, este estudioso mostrou-se “fascinado” com estas experiências.”
“Aí é que volta sempre a pergunta: o mundo cria-se a si mesmo, explica-se por si mesmo ou, pelo contrário, tem na sua raiz no seu fundamento, um Deus pessoal, transcendente, criador?”, questiona Anselmo Borges.
13.06.08

Semente com dois mil anos «deu» árvore

Rui Luzes Cabral

Os pais de semente terão ajudado os judeus a lutar contra o império romano

 

Chama-se Matusalém, tem três anos de idade e um metro de altura. É uma tamareira que «estava» extinta. A sua semente foi recuperada em Massada e uma cientista, Sarah Sallon, resolveu tentar plantá-la para ver o que acontecia. A notícia é avançada pelo site brasileiro Estadão.
 
Ao fim de três anos «está bem de saúde» garante Sarah Sallon. Esta é semente mais antiga, alguma vez encontrada, a gerar uma árvore. Todo o processo de crescimento desta espécie de tamareira está publicada na revista Science desta semana.
 
Este tipo de tamareira já tinho sido dado como extinto, mas Sarah Sallon espera agora trazer de novo à vida esta árvore milenar. Uma primeira pesquisa ao ADN já revelou que ela apenas tem metade dos genes das tamareiras actuais.
 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Loureiro

Oliveira de Azeméis

Religião

Política

Europa

História & Património

Música

Diversos

Meteorologia

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D