Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



"Era o supremo encanto da merenda"

por Rui Luzes Cabral, em 16.07.08

De Tarde

Naquele pic-nic de burguesas,
Houve uma coisa simplesmente bela,
E que, sem ter história nem grandezas,
Em todo o caso dava uma aguarela.

Foi quando tu, descendo do burrico,
Foste colher, sem imposturas tolas,
A um granzoal azul de grão-de-bico
Um ramalhete rubro de papoulas.

Pouco depois, em cima duns penhascos,
Nós acampámos, inda o sol se via;
E houve talhadas de melão, damascos,
E pão-de-ló molhado em malvasia.

Mas, todo púrpuro, a sair da renda
Dos teus dois seios como duas rolas,
Era o supremo encanto da merenda
O ramalhete rubro das papoulas.

Cesário Verde (1855 - 1886)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:27


2 comentários

Imagem de perfil

De Carlos Marques a 18.07.2008 às 19:11

(continuação cerca de 120 anos depois...)

Começara a anoitecer
E assim poderia continuar
O nosso desejo a crescer
Esquecendo o apetite de jantar.

Fomos para casa numa saltada
Já o sol não se via
A noite estava instalada
E os gemidos dela sentia.

Note longa que predura
Que jamais quero ignorar
Pena que mais não dura
Porque acabo de acordar!

Carlos Marques

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.