Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

Santo Natal

Deus, que se fez menino, no Natal deseja ardentemente que o coração dos homens se transforme. Deus que se fez menino para que cada ser humano participe no mistério de Belém, para que cada ser humano seja testemunho do presépio, na sua humildade e dignidade.

Em primeiro lugar desejo um Santo Natal, com paz e amor (Não são meras palavras, manifestam o sentimento de amizade...) aos meus caros amigos lavradores que comigo partilham este terreno lavradio, bem como às respectivas patroas e gaiatos.

Este desejo é vinculado a todos os amigos que visitam este blog, em que faço votos de um Feliz e Santo Natal, com muita amizade.

Caro Hipermercado

 

 

Lembrei-me de te mandar um postalinho de boas festas para agradecer a tua preocupação comigo-consumidor. O que seria de mim se os teus trabalhadores fizessem greve na véspera de Natal? Não só teria de deixar de comprar nesta quadra tão prenhe de significado, como teria porventura de comprar os teus produtos mais caros no futuro. Eu por acaso não tenho acções tuas, mas se tivesse também estaria preocupado porque a greve poderia fazer baixar o teu valor bolsista e a tua rendibilidade. O meu eu-accionista também te agradece.

Mas agora que comecei a escrever lembrei-me que além de consumidor e potencial accionista sou também trabalhador. Mesmo sendo consumidor e accionista podia ter de trabalhar para ti e quem sabe se isso não me acontece um dia. Nesse caso, ser obrigado a trabalhar 60 horas por semana, 14 amanhã (com pré-aviso de algumas horas) e devolução do tempo a mais, mas sem pagamento extra, não é nada que se agradeça. Bem sei que tudo isto é legal, e que foi para isto mesmo que o código do trabalho foi alterado, mas mesmo assim... Se bem que não trabalhe para ti e não tencione vir a fazê-lo, há que considerar que a moda que começa nos hipermercados pode pegar-se a outras empresas.

Crias muito emprego e dizem que devemos estar-te agradecidos por isso. Mas não é certo que, quando nasceste, fizeste com que muitas "piquenas" (e médias) lojas fechassem? Quanto emprego destruíste?

Nasceste na periferia das cidades e o meu eu-automobilista, com algum incómodo mas não muito, desloca-se até lá. Mas o meu eu-idoso que já não guia e o meu eu-potencialmente-pelintra que não tem carro passamos a ter de comprar numa loja de bairro que vende mais caro. A quanto CO2, congestionamento e consumo superfluo de combustíveis deste origem?

Além disso, passaste a importar muitos produtos alimentares baratos. O meu eu-consumidor agradece, mas o meu eu-que-não-é-mas-podia-ser-agricultor passou a não conseguir vender a preço compensador e ... a balança alimentar ressente-se.

Encontras-me assim dividido, caro hipermercado: os meus eus consumidor, potencial accionista e automobilista contra os meus eus trabalhador, idoso e agricultor. Não apeles ao meu interesse porque eu não sei o que é o meu interesse e já não sei também se te agradeça se te deteste.

Se calhar se tivesse pensado mais quando comecei a escrever o postalinho tinha-te chamado “querido” e não “caro” para evitar confusões. Mas agora que acabei, depois de ter descoberto a minha divisão, acho mesmo que afinal podes estar a sair-nos muito caro a todos e já não emendo o que escrevi. (IN http://ladroesdebicicletas.blogspot.com/ )

Poesia - Fernando Pessoa

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma .
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo...

(Fernando Pessoa)

 

Os livros, o consumismo e o Natal

 

 Em plena época de Natal em que nós olhamos o mundo e verificamos que na manjedoura de Belém, já pouca gente se importa com o Deus Menino que ambiciona transformar os nossos corações de pedra num caloroso coração onde habite o Menino Jesus.

Pouco ou nada manifesta a presença de Deus no Natal, excepto os livros, que não sendo de natal, aproveitam a época de Natal para vender ideias plenas de laicidade e de demagogia especulativa, mas…. Falando de deus ou deuses!!!
É tão estranho, que 3 escritores laicos, vendam ideias laicas, aproveitando o Natal consumistas, falando de deus. Estes 3 livros são o Top de vendas em todas as livrarias dos centros comerciais, as catedrais dos tempos modernos. Nomeadamente;
José Rodrigues dos Santos vende o livro “Fúria Divina”, um emaranhado de suposições em que utiliza o nome do divino e da al-qaeda possuir a bomba atómica. Estes ingredientes combinados provocam procuras maiores que a busca de pão em tempos de guerra.
Dan Brown vende “O símbolo perdido” falando de misticismo e de sociedades secretas, as pessoas compram com a mesma ansiedade que um viajante do deserto procura a água fresca no oásis (que por vezes é apenas uma miragem).
José Saramago escreveu outro livro. O seu título é “Caim”, em que intelectualmente se tenta reduzir o Amor de Deus a uma alienação! E alienados, sem espírito crítico e sem um verdadeiro estudo teológico, compra-se o livro e dizem-se umas coisas contra a Igreja e contra Deus… está na moda!
Tudo isto é natal, mas nada disto é Natal!

Compenhaga e o aquecimento global

"Todos pensam em deixar um planeta melhor para os  nossos  filhos...  Quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

O planeta encontra-se em crise ambiental, por um lado somos super poluidores, por outro lado sabemos que o desenvolvimento está intimamente ligado à poluição. Pescada de rabo na boca, hipócritas que somos nós e os estados. Só existe uma forma de diminuir decentemente a poluição e as emissões de dióxido de carbono..... precisamos de mudar radicalmente o modelo de desenvolvimento dos povos. precisamos de algo ainda mais radical que a revolução industrial!!!

Precisamos de melhores filhos para o nosso planeta. Precisamos de perceber que não somos proprietários de absolutamente nada.... apenas somos utilizadores deste belo planeta azul turquesa à beira universo plantado.

O sonho Europeu - Tratado de Lisboa e o desemprego

 

Ontem à noite nasceu para o mundo e especialmente para a Europa o Tratado de Lisboa, cheio de boas intenções, propõem-se promover uma Europa de paz, prosperidade, união e desenvolvimento. Um dia grande para os europeístas, onde eu me insiro. Continuo a acreditar que o futuro da Europa passa pela União Europeia. Desejo um desenvolvimento dos 27 países de uma forma equilibrada, desde a ilha do Corvo nos Açores (extremo Oeste da Europa) até aos confins da Finlândia, ou ao extremo Este do Mediterrâneo no Chipre.

 No mesmo dia do mel do sonho europeu tivemos o fel da crise económica em Portugal, com uma taxa de desemprego de 10,2%. O desemprego é sem dúvida um dos problemas mais graves em Portugal.

Urge criar emprego.

Pág. 1/2