Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

"Note to President Obama: Want to Fix the Schools? Look to Portugal!"

Grande parte de nós, portugueses, diz mal de nós e bem dos outros. Não é tudo mau, os outros dizem bem de nós e do nosso Primeiro-Ministro.

 

Aqui pode ler um extracto do artigo de opinião de Don Tapscott "Note to President Obama: Want to Fix the Schools? Look to Portugal!" Para ler o artigo completo clique aqui.

"To show the way, I suggest the president take a look at a modest country across the Atlantic that's turning into the world leader in rethinking education for the 21st century.

 

That country is Portugal. Its economy in early 2005 was sagging, and it was running out of the usual economic fixes. It also scored some of the lowest educational achievement results in western Europe.
So President Jose Socrates took a courageous step. He decided to invest heavily in a "technological shock" to jolt his country into the 21st century. This meant, among other things, that he'd make sure everyone in the workforce could handle a computer and use the Internet effectively.
This could transform Portuguese society by giving people immediate access to world. It would open up huge opportunities that could make Portugal a richer and more competitive place. But it wouldn't happen unless people had a computer in their hands.
In 2005, only 31% of the Portuguese households had access to the Internet. To improve this penetration, the logical place to start was in school, where there was only one computer for five kids. The aim was to have one computer for every two students by 2010.
So Portugal launched the biggest program in the world to equip every child in the country with a laptop and access to the web and the world of collaborative learning. To pay for it, Portugal tapped into both government funds and money from mobile operators who were granted 3G licenses. That subsidized the sale of one million ultra-cheap laptops to teachers, school children, and adult learners."

O erro na CULTURA ou a cultura do erro na CULTURA

Extracto de uma notícia no jornal Público de 18 Junho 2009 pág. 5 

Julgo que há uma cultura do erro, no que toca ao investimento na cultura em Portugal. É pensar-se ao estilo da lógica do mealheiro, quando falta dinheiro noutras áreas subtrai-se ao orçamento da cultura. Um erro que se tem mantido sempre, infelizmente.

Eu sei que é preciso alimentar primeiro as pessoas, dar-lhes boas condições de habitabilidade, emprego, segurança, educação…
Mas quem não souber interpretar o que se poderá retirar do investimento (talvez a médio / longo prazo) que a cultura e o património proporcionarão, não estarão certamente a compreender o que reserva o século XXI.

Todo o mundo é a nossa casa…

Qual o jornal do mundo que dá honras de primeira página a assuntos internos de outro país durante 4 dias seguidos. É o PÚBLICO. Mas em Portugal a imprensa é assim, abraça o mundo inteiro, talvez porque ainda persiste o espírito dos descobrimentos. Todo o mundo é a nossa casa…

 

Capa Público 13 Junho 2009 fotoAtta Kenare da AFP

Capa Público 14 Junho 2009 foto de Olivier Laban-Mattei da AFP

Capa Público 15 Junho 2009 foto Damir Sagoli da Reuters

Capa Público 16 Junho 2009 foto de Behrouz Mehri da AFP

 

Pág. 1/2