Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

27.09.08

Não há paciência para este PSD

Rui Luzes Cabral

Manuela Ferreira Leite criticou esta semana “o espectáculo à americana” que foi o grande comício do PS em Guimarães, onde esteve José Sócrates. Diz ela que é um atentado à pobreza ir para aquela região, onde existem tantas dificuldades por causa do desemprego e do baixo poder de compra das famílias.

 

Mal acabou de prestar tais demagógicas declarações à comunicação social e, logo entrou num grande carrão com motorista, ocupando o banco de trás, onde até se via um ecrã televisivo. Com tal discurso até pensei que entrasse num Fiat Uno, num Renault Clio ou num Opel Corsa.
Não há paciência para este PSD. O título do livro agora editado por Marques Mendes é que retrata o que é preciso acontecer a este partido: “mudar de vida”.
26.09.08

O “Ultra-Mercado”: Ainda a crise financeira

Rui Luzes Cabral

Diz José Vítor Malheiros no Público de 23 de Setembro, pág. 33, que “os pobres foram pagando a sua casa, pagaram-na mais cara que os ricos. E muitos perderam as prestações e a casa. (…) O subprime surgiu porque um banqueiro um dia olhou para um gráfico da população nos Estados Unidos e constatou que havia umas dezenas de milhões de pessoas que os bancos não estavam a espremer.”

 
Pacheco Pereira, por seu turno e, em sentido contrário, refere no mesmo jornal, pág. 37, mas dia 20, que “a “crise” não é o sinal da crise do liberalismo, mas sim do seu normal funcionamento”.
 
João Salgueiro, presidente da Associação de Bancos Portugueses, ontem ouvido nas rádios, com voz cândida e demonstrando um excessivo paternalismo social vem agora dizer que os bancos nada têm a ver com tudo isto. Na sua opinião, é o povo português que não sabe poupar, não sabe gerir o seu dinheiro, embarcando “livremente” por comprar casas, roupa de marca e ir de férias para o Brasil, tudo a crédito, obviamente. Fiquei parvo com tais palavras. É como afirmar que a culpa do peixe em ser pescado é inteiramente sua quando “livremente” morde o isco do anzol. Ao menos se dissesse que todos os intervenientes tinham responsabilidade no “caos” ainda se tolerava, agora “crucificar” os mais desprotegidos e “absolver” os outros é que não.
 
Mas Rui Tavares responde através do seu artigo GESTOR PANGLOSS aos “fiéis” defensores do “Ultra-Mercado”.
25.09.08

Homossexuais em contra ciclo

Rui Luzes Cabral

Numa altura em que os casais heterossexuais optam cada vez mais, por simplesmente se juntarem numa vida a dois, sem precisarem de assinar papéis no registo civil ou no cartório paroquial, andam os homossexuais a lutar pelo “casamento oficial”. Andam, pelos vistos em contra ciclo.

 
E quando o país anda preocupado com os verdadeiros temas fracturantes (fracturam a vida ao pessoal) para as pessoas como o desemprego, a precariedade no emprego, a insegurança, o preço elevado dos combustíveis, as listas de espera na saúde ou a crise financeira, anda a Juventude Socialista, o Bloco de Esquerda e Os Verdes entretidos nos casamentos entre pessoas do mesmo sexo, convencidos que, neste momento é um assunto prioritário e essencial para os portugueses.
 
Tudo poderá ser tendencialmente importante (dependendo do ponto de vista de quem vê), mas não acredito que a sociedade portuguesa, no seu geral, ande preocupada com isto neste momento. E depois, ninguém actualmente, impede ninguém de viver ou namorar com quem quer que seja.
23.09.08

“Autarquinhas Laranja”.

Rui Luzes Cabral

Se o PSD não tivesse faltado à palavra dada, neste momento já teríamos nova lei. Em 2009 as candidaturas seriam já mais ágeis e adequadas aos novos tempos. Em vez de duas listas (Câmara e Assembleia Municipal) passaria a existir só uma (Assembleia Municipal), tal qual desde sempre aconteceu na eleição dos autarcas das Juntas de Freguesia.

 
De acordo com alguns jornais, PS e PSD estão novamente em negociações para tentarem, até ao final do ano, reabilitar essa lei que ficou na gaveta na Primavera passada. Apesar de ser Governo, o PS esteve sempre pronto para essa mudança, assumindo que não existem sistemas perfeitos e demonstrando não ter medo de alguns caciques locais, ao contrário de Menezes que recuou por pressão de “autarquinhas laranja”.
 
Uma lei que coloca o primeiro votado da lista como presidente da Câmara, escolhendo ele depois qualquer nome para vereador independentemente do lugar que ocupa na lista e, podendo substitui-lo a qualquer altura do mandato, capacidade vedada pela actual lei em vigor.
23.09.08

Palavrões

Rui Luzes Cabral

"Já me estão a cansar… parem lá com a mania de que digo muitos palavrões, caralho! Gosto de palavrões! Como gosto de palavras em geral. Acho-os indispensáveis a quem tenha necessidade de dialogar… mas dialogar com carácter! O que se não deve é aplicar um bom palavrão fora do contexto, quando bem aplicado é como uma narrativa aberta, eu pessoalmente encaro-os na perspectiva literária! Quando se usam palavrões sem ser com o sentido concreto que têm, é como se estivéssemos a desinfectá-los, a torná-los decentes, a recuperá-los para o convívio familiar. Quando um palavrão é usado literalmente, é repugnante." Leia o texto completo de Miguel esteves Cardoso aqui 

21.09.08

Uns riem, outros choram…

Rui Luzes Cabral

 

Os gestores privados é que são bons, é que têm de ganhar super-prémios salariais porque “mexem” com o dinheiro dos outros. Até parece que isso é um emprego de grande responsabilidade! Se algo correr mal, o Estado parece que injecta dinheiro. No caso dos recentes acontecimentos nos EUA, o governo já “investiu” 789.000.000.000 de dólares.
Grande responsabilidade têm é os trabalhadores que laboram por exemplo em empresas alimentares, em empresas químicas, em minas ou que à sua “guarda” estão ou são transportadas dezenas, centenas ou milhares de pessoas todos os dias. Esses é que não podem falhar. E, por vezes, ganham 500 ou 600 euros por mês.
Nota: Foto aqui apresentada da autoria de Thomas Lohnes da AFP, ontem na primeira página do jornal “Público”.

 

16.09.08

Crise internacional sem precedentes

Manuel Alberto Pereira

De acordo com o Diário Económico on line, o presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, alertou hoje contra o pânico nos mercados financeiros, embora reconheça que a crise actual não tem precedentes .

Com origem na "derrocada" do sector imobiliário americano, esta crise está a alastrar-se por todo mundo e terá consequências imprevisíveis. Perante a dimensão do problema, deixo a questão: Como poderá um país como Portugal "sobreviver" a este "tufão"?

 

12.09.08

Mini Circo Hoje em Loureiro

Rui Luzes Cabral

 

Parece que vivemos tempos em que andam muitos de terra em terra a roubar, trazendo só tristezas às pessoas. É de louvar, portanto, que estes artistas de circo andem por aí para fazer rir o pessoal. Pena é, que cada vez mais, fiquem sempre cadeiras vazias neste tipo de espectáculos. Eu me penitencio por também não ocupar hoje uma delas.

 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Loureiro

Oliveira de Azeméis

Religião

Política

Europa

História & Património

Música

Diversos

Meteorologia

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D