Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

20.04.08

Agora até o Veiga quer ir lá sugar…

Rui Luzes Cabral

 

 

O Benfica acabou de perder novamente. Desta vez foi com o F. C. do Porto e até ao fim do campeonato não vão ser só vitórias, obviamente.

Quando o Rui Costa regressou há dois anos, muitos viram nele um D. Sebastião, os mesmos que se preparam para acreditar nisso novamente, agora que parece que vai ser o novo director desportivo. Eu sou benfiquista e às vezes até “sofro” com algumas derrotas mas já não me iludo. O problema do Benfica não está na contratação A ou B, está numa “política” que deve ser diferente. Têm faltado dirigentes sensatos e sérios ao Benfica. Agora até o Veiga quer ir lá sugar…

Já o disse a muita gente e repito-o aqui: Luís Filipe Vieira pode até ter recuperado o Benfica financeiramente, admito, mas nunca foi o “meu presidente”.

Preferiria de longe, homens como Luís Nazaré, Fernando Seara, Bagão Félix, Armando Vara, José Ribeiro e Castro.

Tenho muita pena que Michel Pred Homme e agora Rui Costa no seu regresso tenham dado tanto ao clube e não conseguissem ganhar um campeonato. O resto dos jogadores (tirando Petit, Moreira, Nuno Gomes e Mantorras) são quase todos, infelizmente, moeda de troca para empresários e alguns dirigentes enriquecerem.

E só para terminar, onde está a aposta na formação? Quantos Di Marias, Cardozos ou outros que tais poderiam sair dos juniores? Mas não, preferem descaracterizar o Benfica, ainda por cima com uma agravante: Não ganha quase nada.

 

13.04.08

AFINAL, QUEM É O PATRÃO?

Sérgio Cabral
.
.
Afinal, quem é o patrão das comunicações em Moçambique? Nos últimos tempos, as duas operadoras de telecomunicações móvel deste país, nomeadamente a Vodacom e a Mcel, têm estado numa luta desenfreada pela conquista do mercado. Esta luta não é patente apenas nos spots publicitários aqui apresentados e que passam na televisão, mas também nas ruas e praças da cidade de Maputo. As paredes das ruas e dos edifícios de Maputo estão a ser pintados com as cores destas duas operadoras de telecomunicações. E diz-se, que a situação na Ilha de Moçambique é ainda pior, colocando em causa o seu grande património histórico e cultural.
12.04.08

O que é a profissão de "engenheiro"?

Fernando Silva

Naqueles programas em que cada um diz o quer na rádio, onde supostamente começa cada intervenção com a apresentação de cada interveniente, dizendo o seu nome seguido da localidade e profissão, ouvi ser apresentado um Senhor Fulano, do Porto, com a profissão de engenheiro. Ainda hoje não sei o que ele faz. Será que um gajo com um Jonh Deere  e um atrelado espalhador  e a 4º classe é lavrador, e com o mesmo tractor e mesmo atrelado, mas se tiver passado um anos numa universidade já não é lavrador?

10.04.08

A avaliação dos professores

Manuel Alberto Pereira
No momento em que está ao "rubro" a discussão à volta da avaliação dos professores, fui "revisitar" um artigo que escrevi em 2001 para o "Correio de Azeméis" onde, apesar dos  7 anos passados e das divergências quanto aos métodos ou aos modelos mais "ajustados" (se é que se poderá falar de métodos ou modelos "ajustados"), verifico que se mantêm válidos todos os pressupostos que defendi na altura.
07.04.08

FUTURO, como será?

Carlos Marques

Hoje em dia assistimos a profundas mudanças na nossa sociedade, um desses exemplos é a educação que as camadas jovens recebem.

Longe vão os tempos em que os professores impunham o respeito dentro da sala de aulas ou nos locais onde ensinavam a ler e a escrever. Escusado será dizer que recorriam à régua, à Cana-da-Índia e outros castigos semelhantes. Não se tratava de tortura, nem de abusos de menores, apenas impunha-se respeito aos poucos que tinham a oportunidade de frequentar os estabelecimentos de ensino.

Devo salientar que pessoas desse, mesmo sem escolaridade, vingaram na vida e são pessoas respeitadas, com uma escola de vida que nos arrepia. Outros são aqueles que apenas com a 4ª classe de antigamente, envergonham muitos estudantes do secundário e não só… Trabalharam, fundaram empresas, cresceram na sociedade e hoje são exemplo para as nossas camadas mais jovens.

Agora eis a questão: “O FUTURO, COMO SERÁ?” É difícil esperar um futuro risonho quando assistimos a uma sociedade jovem que cresce desinteressada de tudo, com falta de respeito pelas instituições de ensino.

Quase que agrupava os jovens de hoje em três grupos:

1º - Os “económico dependentes”, são os jovens em que os pais estão bem na vida e dão tudo aos filhos, o que eles querem e lhes apetece. Crescem sem grandes valores de vida, com poucos sacrifícios e dificilmente seguem os exemplos dos pais.

2º - “Os sócio independentes”, que são jovens oriundos de famílias destruídas, de bairros degradados e de outras situações consideradas marginais. Crescem em grupos, chamados “gangs” e rapidamente são temidos pela sociedade que os rodeia.

 

O que será deste jovens no futuro?

 

Resta a esperança que no meio destes dois agrupamentos, surja o 3º grupo: “Socialmente integrados”. São jovens que crescem de uma forma equilibrada, capazes de serem os verdadeiros HOMENS DE AMANHÃ.

 

Mais confiança para um FUTURO MELHOR!

 

Carlos Marques

 

05.04.08

Julien Clerc - Ma Preference

Rui Luzes Cabral
 

Há quem diga que a música do francês Julien Clerc (o primeiro a cantar) é tipo Tony Carreira. Não vou analisar isso. Coloquei aqui o vídeo pois em 1990 ou 1991, numa das primeiras vezes que foi a Toulouse com o TAL (Teatro Amador de Loureiro), a família de franceses onde fiquei com o meu irmão gravou-me uma cassete com este artista, que ainda tenho. Como encontrei Julien Clerc no YouTube, decidi recordar a música e esses tempos de viagens internacionais do TAL.

05.04.08

Ponte Mário Soares

Rui Luzes Cabral

Pelo papel que teve na construção do Portugal democrático de hoje, é esse o nome que considero ser o mais apropriado e justo para dar à terceira travessia sobre o Rio Tejo (Chelas – Barreiro), na zona de Lisboa.

 

Aceitam-se outras sugestões…

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Loureiro

Oliveira de Azeméis

Religião

Política

Europa

História & Património

Música

Diversos

Meteorologia

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D