Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

António Evangelista de Pinho

 

No jornal da semana passada, a jornalista Gisélia Nunes de “A Voz de Azeméis” apresenta um trabalho sobre António Evangelista de Pinho, o “pai” e grande dinamizador da Associação de Solidariedade Social de Loureiro. Um homem, que ao liderar uma direcção empenhada, foi o “motor” que fez erigir uma obra de reconhecido valor para a freguesia num curto espaço de tempo. É neste campo um exemplo a seguir e demonstra que é possível com grande empenho e muito trabalho dar corpo a projectos que à partida podem parecer megalómanos para alguns. Agora a associação prepara a construção de um lar para a terceira idade, depois de se ter candidatado a um programa de apoio governamental. Dou os meus parabéns ao meu conterrâneo e amigo Sr. Pinho pela dedicação e energia devota a esta obra social.

 

Eduardo Lourenço: "Pensador Errante"

 

Na revista Pública do passado Domingo, dia 13 de Maio, o jornalista Luís Miguel Queirós entrevista o conhecido pensador português, Eduardo Lourenço. A dada altura na extensa entrevista, pergunta-lhe: “E como vê a Igreja Católica, enquanto instituição?”

 

A resposta abaixo transcrita, demonstra que este homem de esquerda, de bem com a vida, sabe destrinçar o essencial do acessório, e atento com é ao Mundo que nos rodeia, percebe qual a importância de cada instituição na sociedade, seja ela de carácter religioso, cívica ou politica.

 

“Creio que a Igreja só está por intermitência à altura do seu próprio passado. Curiosamente, este Papa, que é tido como um papa reaccionário, no sentido de vir reiterar uma espécie de dogmática, sobretudo na ordem ética, é, a outros níveis, um papa menos reaccionário, do que as pessoas julgam. Veio despolitizar o discurso da Igreja e é um grande teólogo. Foi o primeiro papa a fazer uma pastoral, ou uma encíclica, já não sei, sobre o tema do amor, na qual o “Eros” é tratado nas suas diversas conotações, e não apenas nessa conotação negativa e pecaminosa que o conceito tinha arrastado até hoje na visão cristã do mundo. Gostei muito desse texto, que cita Nietzsche sem “problemas de pluma”. Nietzsche! o assassino de Deus, o Anti-Cristo. Nesse capítulo, é um papa muito mais aberto do que o anterior, o celebre atleta de Deus. Mas estamos num mundo em que nem a palavra dele, nem a de ninguém, tem qualquer eco. Qualquer vedeta de televisão é muito mais importante do que ele. É pena.”

Promessa adiada até quando?

Estamos quase a chegar a meio do mandato autárquico 2005/2009 e nada mais disse a nossa Junta de Freguesia sobre os planos que tem para a casa onde nasceu D. Frei Caetano Brandão, a não ser que o processo é muito difícil e que os donos do imóvel obstruem sempre as negociações da aquisição. A Câmara nada se interessa também por isso, mesmo agora que o seu vice-presidente é Loureirense e conhecido pelo gosto cultural que tem pois foi um dos fundadores do Orfeão de Loureiro e durante muitos anos correspondente de um jornal regional.

Projectos Europeus poderiam ter sido tentados para dar nova “vida” à casa mas nada, ideias para a utilização do espaço são também pouco conhecidas. Enfim, é a apatia e o baixar de braços.

Para uma coisa esta casa tem servido nos últimos 20 anos, para propaganda eleitoral nos desdobráveis partidários o que é manifestamente muito pouco e tem-se revelado sempre promessa adiada. Funciona já como uma mentira benigna. Sabe-se que é mentira, sabe-se que os eleitores não se importam que ela seja veiculada mas fica bem referi-la.

Para saber resumidamente quem foi D. Frei Caetano Brandão clique aqui.

 

O "saudoso pai" Oliveirense

“Certa vez a polícia política do governo fez-lhe notar a protecção que dispensava a indivíduos declarados comunistas. O Dr. Albino quis saber que espécie de pessoas eram essas, sendo-lhe declarado tratar-se de indivíduos que viviam mal. Perante essa situação declarou-lhes que sempre lhe competia auxiliar os necessitados sem olhar a qualquer outra posição. Se eram comunistas esse assunto não lhe dizia respeito, mas somente à polícia.” Excerto de artigo de opinião de Dulcídio Alegria no Jornal “Correio de Azeméis” de 8 de Maio de 2007. Artigo completo aqui.

.

Brevemente escreverei sobre a figura que foi o Dr. Albino dos Reis. Entretanto deixo aos vossos comentários este pequeno excerto, em particular a frase a negrito. O Dr. Albino dos Reis pelos vistos gostava de dar “esmolas” ao pessoal. Era o "pai" dos Oliveirenses na sua época e pelos vistos até gostava dos “pobres” comunistas. De certo que com esta atitude pretendia demonstrar que era um homem bom e tinha por isso “compaixão” e respeito pelos comunistas. Não percebo é que como tão “auxiliador” que era, nunca tenha pensado em servir a pátria lutando contra um regime autoritário e pouco amigo da democracia, dos valores da liberdade e da tolerância. Entre outras coisas, “auxiliar os necessitados” e fechar os olhos quando a polícia os prendia pelo simples facto de serem comunistas fez dele segundo Dulcídio Alegria um grande homem. Está tudo dito…

A actualidade da Igreja Católica

"As boas e as más notícias de cada dia giram à volta do primado da economia. Na Europa, vive-se com inveja do vigor da economia norte-americana. A China assusta pelo seu espectacular crescimento económico. O percurso da Índia, embora diferente, já não é célebre, apenas, pela sua profusão de espiritualidades no meio da miséria. A força da economia espanhola humilha-nos. Sabe-se que a própria guerra, no Iraque, por mais hedionda que se apresente, está perdoada por ser obra da economia mais forte. Não é difícil a contagem dos homens mais ricos do mundo, mas calcula-se que quase mil milhões de pessoas vivem com menos de 73 cêntimos por dia. O primado absoluto da economia deixa a retórica dos direitos humanos a um canto. A economia não é para as pessoas, são as pessoas para a economia…" Frei Bento Domingues, Público – 06 de Maio de 2007

 

Com o título Cristianismo social e espiritual, da qual transcrevo acima um pequeno excerto, Frei Bento Domingues apresenta-nos um artigo que aborda os 40 anos da “notável encíclica” Populorum Progressio de Paulo VI e citando no seu artigo François Perroux (grande economista francês) chama-lhe a “Encíclica da Ressureição” pois veio alertar para a miséria em que viviam muitos seres Humanos e para o problema do desenvolvimento dos povos, a sua relação com a economia e com o espiritual. Quem assim o desejar poderá ler o artigo na sua totalidade consultando o jornal do passado Domingo e já agora a referida Encíclica aqui.

Mais um evento do nosso Orfeão

 

19º ENCONTRO DE COROS EM TERRAS DE LA SALETTE
no dia 5 de Maio de 2007, pelas 21h30, no auditório da Junta de Freguesia de Loureiro
Organização: Orfeão de Loureiro

Participam:

Coro Litúrgico Tiago Maior (Santiago de Riba Ul - Oliveira de Azeméis)
Coro Túrdulo (Pedroso - Vila Nova de Gaia)
Orfeão Egas Moniz (Avanca)
Orfeão de Loureiro