Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

lavoura

Este blog é um espaço de debate e partilha de opiniões. Não te esqueças que o sustento do Homem provém da lavoura. Lança a semente, cultiva-a, ela te saciará...

Parece que o leite dá pouco dinheiro para uns, muito para outros...

De acordo com o jornal Correio da Manhã "A Lactogal, a maior empresa de lacticínios da Península Ibérica, que funciona numa lógica de cooperativa e que, juntamente com a Agros, controla mais de 80 por cento do mercado da produção do leite em Portugal, paga ordenados milionários aos seus quadros superiores. Os administradores ganham entre 410 e 900 mil euros por ano. Os produtores de leite, os últimos da cadeia, vão receber, a partir de quarta-feira, menos quatro cêntimos por litro. A Lactogal pagava-lhes, em média, 30 cêntimos, desceu para 26, depois de invocar um decréscimo na procura e dificuldades no escoamento do leite.

Nos supermercados, o preço continua a subir. No ano passado o aumento foi de cerca de dez por cento. Mas a crise parece passar ao lado de quem gere o maior grupo produtor de lacticínios.
ORDENADOS MILIONÁRIOS
A Lactogal tem nove administradores com salários astronómicos. Por mês recebem entre 29 a 61 mil euros (o declarado em sede de IRS, a dividir por 14 meses), que são pagos por várias empresas ligadas à cooperativa.
No topo da lista está o comendador Casimiro Almeida. O ex-agricultor, que hoje é número um da Lactogal, declara agora mais de 850 mil euros de rendimentos daquela empresa e 60 mil por ser, ao mesmo tempo, administrador da Proleite."
Para ler a notícia completa, clique aqui

O "grande" Avelino...

"A vitória vai ser em Outubro, porque em Outubro vai-se começar outra vez a trabalhar em prol do Marco de Canaveses, porque até agora só se tem andado a brincar" Avelino Ferreira Torres, ontem à saída do tribunal depois de ser absolvido dos crimes de que era acusado.

 

Nota: Enfim, o povo que diga de sua justiça já que a justiça não encontrou provas para dizer o que quer que seja.

Aula de Filosofia

Um professor diante da sua turma de filosofia, sem dizer uma palavra, pegou num frasco grande e vazio de maionese e começou a enchê-lo com bolas de golfe. A seguir perguntou aos estudantes se o frasco estava cheio. Todos estiveram de acordo em dizer que sim.
 
O professor tomou então uma caixa de fósforos e a vazou dentro do frasco de maionese. Os fósforos preencheram os espaços vazios entre as bolas de golfe. O professor voltou a perguntar aos alunos se o frasco estava cheio, e eles voltaram a responder que Sim.
 
Logo, o professor pegou uma caixa de areia e a vazou dentro do frasco. Obviamente que a areia encheu todos os espaços vazios e o professor questionou novamente se o frasco estava cheio. Os alunos responderam-lhe com um Sim retumbante.
 
O professor em seguida adicionou duas chávenas de café ao conteúdo do frasco e preencheu todos os espaços vazios entre a areia. Os estudantes riram-se nesta ocasião. Quando os risos terminaram, o professor comentou:
 
Quero que percebam que este frasco é a vida. As bolas de golfe são as coisas importantes, a família, os filhos, a saúde, a alegria, os amigos, as coisas que vos apaixonam. São coisas que mesmo que perdessemos tudo o resto, a nossa vida ainda estaria cheia. Os fósforos são outras coisas importantes, como o trabalho, a casa, o carro etc. A areia é tudo o resto, as pequenas coisas. Se primeiro colocamos a areia no frasco, não haverá espaço para os fósforos, nem para as bolas de golfe. O mesmo ocorre com a vida. Se gastamos todo o nosso tempo e energia nas coisas pequenas, nunca teremos lugar para as coisas que realmente são importantes. Prestem atenção às coisas que realmente importam. Estabeleçam as vossas prioridades, e o resto é só areia.

Um dos estudantes levantou a mão e perguntou: Então e o que representa o café? O professor sorriu e disse: Ainda bem que perguntas! Isso é só para vos mostrar que por mais ocupada que a vossa vida possa parecer, há sempre lugar para tomar um café com um amigo.
Autor desconhecido. Texto recebido por correio electrónico

 

O fogo e os pirómanos

A passar os olhos pelas notícias, deparo com uma enorme onda de incêndios que atormentam o país. Nomeadamente na serra do Marão, Serra da estrela e Arouca. O incêndio no Marão teve inicio as 2h da manhã. estamos ainda no Inverno, claro que as temperaturas estão altas, mas as plantas e os solos ainda possuem muita água. Estamos perante um crime cobarde, que tudo destrói é um mau principio para esta época de tempo mais quente que se aproxima. desde já manifesto a minha solidariedade para com os bombeiros, que no meio disto tudo são dos que mais se esforçam pelo bem comum.

TODOS JUNTOS

 

 

Todos juntos somos o alcance

A forte emoção da força
A superior ambição da sorte.

 

Todos iguais somos a meta
A unida comunhão da água
A elevada superação do medo.
 
Todos sós somos a alegria passageira
O encontro simples da resistência
A rápida forma do começar.
 
Todos juntos e a dois somos o iniciar
A feliz simbiose
A completa maneira de dar as mãos
O gesto inicial da partilha
A reflexão de examinar.
 
Todos juntos e juntos nesse entrelaçar
Somos árvores a darem frutos
A terra fértil para a semente
As palavras ausentes
Deste divagar.
 
21 de Maio de 1998
00:47

O mais barato ou o que está na moda…

O António, depois de dormir numa almofada de algodão (Made in Egipt), começou o dia bem cedo, acordado pelo despertador (Made in Japan) às 7 da manhã.

Depois de um banho com sabonete (Made in France) e enquanto o café (importado da Colômbia) estava a fazer na máquina (Made in Chech Republic), barbeou-se com a máquina eléctrica (Made in China).

Vestiu uma camisa (Made in Sri Lanka), jeans de marca (Made in Singapure) e um relógio de bolso (Made in Swiss).

Depois de preparar as torradas de trigo (produced in USA) na sua torradeira (Made in Germany) e enquanto tomava o café numa chávena (Made in Spain), pegou na máquina de calcular (Made in Korea) para ver quanto é que poderia gastar nesse dia e consultou a Internet no seu computador (Made in Thailand) para ver as previsões meteorológicas.

Depois de ouvir as notícias pela rádio (Made in Índia), ainda bebeu um sumo de laranja (produced in Israel), entrou no carro (Made in Sweden) e continuou à procura de emprego.

Ao fim de mais um dia frustrante, com muitos contactos feitos através do seu telemóvel (Made in Finland) e, após comer uma pizza (Made in Italy), o António decidiu relaxar por uns instantes.

Calçou as suas sandálias (Made in Brazil), sentou-se num sofá (Made in Denmark), serviu-se de um copo de vinho (produced in Chile), ligou a TV (Made in Indonésia) e pôs-se a pensar porque é que não conseguia encontrar um emprego em PORTUGAL...

Autor desconhecido. Texto recebido por email.

Outras crises, talvez mais graves

De acordo com recentes notícias vamos ser 9000 milhões em 2050, principalmente pelo aumento da natalidade em países pobres e em vias de desenvolvimento. E com tanta gente parece que a água vai escassear cada vez mais o que não augura nada de bom. A complicar estes números, também a água do mar subirá até 2100 mais um metro o que retira terreno a alguns países.

 

Mais água salgada, menos água potável, mais gente e menos terra habitável é ao que tudo indica o que nos espera. Parece que a crise ainda está realmente para vir. Esta, que dizem andar por aí é uma brincadeira.

Concelhia do PS Porto parece "ninho de víboras"

Orlando Soares Gaspar, presidente da Concelhia do PS Porto desde o “Neolítico” armou novamente confusão, desta vez com Elisa Ferreira, a candidata escolhida para tentar ganhar a Câmara Municipal do Porto. Bem que me têm dito que esta concelhia é um “ninho de víboras” assanhadas sem emenda e só à procura de protagonismo. Parece que sim.

 

Desta vez fazem questão que se saiba na comunicação social que não é bom que Elisa Ferreira seja também candidata ao Parlamento Europeu, não gostam que ela reúna com pessoal do Porto sem que esteja também presente um elemento do partido e querem condicionar em demasia os elementos da lista a apresentar a eleições. Enfim, precisavam que o Secretariado Nacional “puxasse” a si este dossier.

As construções rurais segundo Vitrúvio

1. Em primeiro lugar tratar-se-á da salubridade. Construindo-se as vilas (casas) tendo em conta a exposição solar, como no primeiro volume foi escrito a respeito do levantamento do recinto das cidades. As suas dimensões devem ser proporcionais ao tamanho da propriedade rústica e à quantidade da produção. Os pátios e as suas medidas serão planeados de acordo com a quantidade de gado, bem como pelo número das juntas de bois que aí for necessário movimentar. No pátio, a cozinha ficará no lugar mais quente. Esta deverá ter junto a si os currais dos bois, cujas manjedouras estarão voltadas para o fogo e para nascente, pois os bois não ficam bravios quando voltados para a luz e para o fogo; mesmo os agricultores desconhecedores da importância da orientação sabem que não convém os bois ficarem voltados para outra que não seja a do nascer do sol. Texto retirado de MACIEL, M. Justino; Vitrúvio, Tratado de Arquitectura Tradução do Latim, Introdução e notas, Instituto Superior Técnico Press, 2006 (pág. 233).

O Livro Tratado de Arquitectura de Vitrúvio foi escrito no Século I antes de Cristo.

Pág. 1/2